Rússia: Novo ataque da coalizão dos EUA representa início de conflito aberto na Síria

A Rússia irá exigir uma sessão extraordinária no Conselho de Segurança da ONU após o ataque da coalizão liderada pelos EUA contra forças pró-governamentais da Síria. A informação é do vice-presidente do Comitê para Defesa e Segurança do Conselho da Federação, Frants Klintsevich.

De acordo com ele, este ataque representa o início de um conflito aberto na Síria.

 “O ataque realizado pela coalizão liderada pelos EUA é um entrada direta para o conflito aberto na Síria. Isto é um ato de agressão, a Rússia pedirá com urgência uma sessão extraordinária na ONU”, afirmou o senador.

Fonte Sputnik

1-133

 

A Coalizão internacional liderada pelos EUA realizou nesta terça-feira (6) um novo ataque conta forças pró-governamentais sírias.

Em comunicado oficial, a coalizão informou que eliminou forças adicionais que apoiam o regime sírio na região da estabelecida zona de segurança do conflito no sul do país. De acordo com o Pentágono, mais de 60 militares sírios entraram na zona de segurança ameaçando a coalizão.

 

“Apesar dos alertas anteriores, as forças pró-regime entraram na acordada zona de segurança com um tanque, artilharia, armas antiaéreas, veículos técnicos armados e mais de 60 soldados que representam uma ameaça para a Coalizão e as forças parceiras na cidade de Tanf”, declarou o Pentágono em comunicado.

 

Foi ressaltado também que as forças da coalizão já estão há meses na base de Tanf treinando sírios locais contra as forças do grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico). Trata-se da única região em que as forças norte-americanas e britânicas realizam treinamento com rebeldes sírios.

Os ataques dos EUA contra as forças pró-governamentais da Síria são ilegítimos e violam a soberania da Síria.

Quem afirma é o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov.

“Seja qual for a razão para as decisões que o Comando dos EUA tomou para realizar o ataque, é ilegítimo, ilegal e uma grave violação regular da soberania da Síria”, disse Lavrov a repórteres nesta sexta-feira (19).

Segundo ele, Moscou acredita que o recente ataque da coalizão liderada pelos EUA contra as forças pró-governamentais da Síria representa o desejo de levar os oposicionistas e alguns extremistas a lutar contra o governo sírio.

No momento, Moscou está investigando os detalhes do recente ataque dos EUA contra as forças pró-governamentais da Síria.

“Ainda estamos esclarecendo todos os detalhes, mas de acordo com alguns relatórios, várias dezenas de civis morreram como resultado do ataque. Repito, tudo isso precisa ser verificado”, disse Lavrov aos jornalistas.

O chanceler ainda destacou que a Rússia está alarmada porque a compreensão geral da necessidade de unir esforços contra terroristas começa a diminuir.

“Estamos muito preocupados que a compreensão geral da necessidade de unir os esforços de todos os que realmente se opõem aos terroristas do Daesh e da Frente al-Nusra por terra e ar esteja começando a diminuir”, concluiu Lavrov.

Não é a primeira vez que a coalizão realiza um ataque contra forças pró-governamentais sírias na região de Tanf. O mais recente bombardeio da coalizão no sul da Síria foi realizado em 18 de maio.

 

Anúncios
Esse post foi publicado em Geopolitíca. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s