Inaceitável inversão de valores

Economista Marcos Coimbra 27/09/2016

Professor, Assessor Especial da Presidência da ADESG, Membro do Conselho Diretor do CEBRES, Acadêmico fundador da Academia Brasileira de Defesa e Autor do livro Brasil Soberano.

O Brasil sempre sofreu um enorme processo de inversão de valores, porém ele nunca foi tão profundo como agora. Na expressão política, o Poder Executivo foi, e em parte ainda é, tomado de assalto por uma horda de pessoas incompetentes, na sua maioria sem qualificação para exercer as funções para as quais foram impostas, em virtude de injunções políticas. Os “administradores” demonstram sua inaptidão para assumir as responsabilidades do cargo. Somente gostam de viajar, em especial pelo exterior, com vastas comitivas, cometendo as gafes de sempre, fazendo questão de realçar, com orgulho, que chegaram aos mais elevados postos da República, sem necessidade de estudo. De fato, grande parte passou a maior parte de sua existência sem estudar e sem trabalhar. Trata-se de um péssimo exemplo para a juventude, que antes acreditava na possibilidade de ascensão social vertical, através da educação. Costumam exercer seu poder autoritariamente, controlando ditatorialmente não só seus colegas ministros subordinados, como integrantes de outros Poderes, em especial do Legislativo. A corrupção campeia sem qualquer controle.

Este “Poder” passou a ser um mero departamento homologador das decisões emanadas do exterior e do Executivo. Passa tudo aquilo enviado, sem a menor alteração para melhor. É vergonhoso o triste espetáculo. O povo clama nas ruas por um plebiscito/referendo sobre a redução da maioridade penal, a instituição de penalidades mais severas para crimes bárbaros e os “donos do Brasil” ignoram. Eles detestam o povo enquanto agente de transformação social. Apenas o desejam como massa de manobra. Graças ao serviço de hoplófobos estrangeiros, implantaram o famigerado estatuto do desarmamento, por acordo de lideranças. A decisão é motivo de ironia por parte de nossos “hermanos” argentinos, uruguaios, paraguaios e afins, que não têm medo de armas de fogo. Aliás, os principais “especialistas” orientadores da “política” de segurança pública no Brasil são estrangeiros, em especial argentinos.

O Poder Judiciário, ainda relativamente independente, é atacado por todos os lados e ameaçado de “coação externa”. Mais de 50% dos componentes das mais altas Cortes do país já foram nomeados PT. Como esperar isenção de um julgamento onde eles atuem e onde estiver em causa interesses de quem os nomeou?

Este país precisa voltar a ser sério. Os compromissos morais e éticos devem ser cumpridos. O povo deve ser respeitado e não humilhado pelos detentores do poder político. As denominadas entidades defensoras dos direitos humanos notabilizam-se em proteger monstros estupradores, assassinos, enquanto a polícia é acuada pelos marginais. Bandidos de alta periculosidade comandam o crime organizado de dentro de presídios de segurança máxima, comandam rebeliões sangrentas, matam agentes penitenciários, saem quando querem e são protegidos por autoridades governamentais. A nossa juventude é contaminada por meios de comunicação de massa difusores de perversões sexuais, de apologia ao crime e da descriminalização das drogas. Agora, existe em curso uma clara campanha a favor desta última, promovida por usuários e “simpatizantes”. O certo passa a ser ridicularizado e o errado é glorificado. Drogados são incensados, até em novelas e programas populares das redes de TV.

A pederastia é incentivada e estimulada. Amanhã, há o risco de ser compulsória, com aprovação simbólica pelo Congresso Nacional. Até a criminalização de não adeptos é discutida no Congresso, em especial para inibir a condenação dos religiosos de praticamente todas as denominações. A decadência moral acentua-se. A educação, no nível básico, médio ou superior, é destruída progressivamente. O ensino público é sucateado e o ensino privado torna-se um balcão de negócios. O sistema educacional forma “analfabetos funcionais”. A saúde é abandonada. As “autoridades” do setor, como sempre desprevenidas, apresentam soluções estapafúrdias.

O saneamento é ignorado. A insegurança predomina nos principais centros urbanos do país, especialmente em São Paulo e no Rio de Janeiro. E a carga tributária aumenta a cada ano. O desemprego e o subemprego tornam-se cada vez mais preocupantes, devido às precárias condições de trabalho e ao baixo nível de remuneração das vagas surgidas. O país do futuro passa a ser a esperança não concretizada do passado. As pessoas de bem, que podem, passam a sair do Rio de Janeiro e do Brasil. A princípio nada é divulgado. A acusada de ser mandante do assassinato dos pais ganhou o direito de liberdade na ocasião da comemoração do dia dos pais.

O MST e assemelhados continuam a invadir propriedades produtivas, cometendo toda sorte de crimes, sem punição. Pelo contrário, recebem recursos vultosos de toda ordem de entidades governamentais, sob diversos pretextos, sem qualquer necessidade de comprovação dos gastos efetuados. A fantástica indústria de multas se expande incontrolavelmente pelo país. Como exemplo, a drástica campanha referente ao uso de bebida alcoólica por motoristas, mesmo em doses moderadas.

É preciso que todos cumpram seu dever, cada um em sua esfera de atuação. A Constituição Federal estipula claramente os deveres de cada Instituição. É urgente que seus dispositivos sejam cumpridos, pois, a qualquer momento, não haverá mais possibilidade de retorno à normalidade. Estaremos em plena barbárie.

Correio eletrônico: mcoimbra@antares.com.br

Página: http://www.brasilsoberano.com.br

Anúncios
Esse post foi publicado em Política. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s